Estudando PP e as marcas, na Netflix – FILMES

Voltamos!

Hoje trazemos para vocês algumas sugestões de filmes disponíveis no catálogo da Netflix que se relacionam de alguma forma com marcas e nossa área de Publicidade e Propaganda.

Seguindo com o novo quadro no Blog, em que vamos ajudar vocês a estudarem e se manterem conectados com a futura ou atual área de vocês. #estudandocomatotem

Então já manda aquele convite pro crush…Quem sabe assim, você não une o útil ao agradável?

FILMES

  • Steve Jobs

“Três momentos importantes da vida do inventor, empresário e magnata: os bastidores do lançamento do computador Macintosh, em 1984; da empresa NeXT, doze anos depois e do iPod, no ano de 2001” –  Adoro Cinema. 

Nada como entender a mente de um gênio da atualidade!

  • Show de Truman

O filme conta a história de Truman, um homem que é o entretenimento de milhões de estadunidenses há anos consecutivos. Os produtores tiveram a ideia e desenvolveram um reality show da vida do pobre homem, que é o único que não tem noção do espetáculo que vive. Criado desde criança nesse estúdio cinematográfico, para ele tudo parece normal…Até que as coisas começam a ficar suspeitas.

Vocês vão aprender a que ponto, as pessoas estão dispostas a ir pela audiência e pelo lucro.

  • Walt, antes do Mickey

“Ainda criança, Walt Disney tinha por hábito desenhar os animais da fazenda onde morava. Ao crescer, ele decidiu tentar a sorte como animador na cidade grande. Decidido a ter uma empresa própria, que lhe permitisse trabalhar no que gostasse, ele enfrenta diversos obstáculos até ter a grande ideia de sua vida: um pequeno rato chamado Mickey Mouse”  – Adoro Cinema.

Nesse filme vamos ter uma perspectiva da que conhecemos, vamos ver o lado criativo e toda a trajetória de alguém que persistiu tanto em algo que acreditava.

Esperamos que gostem! Interajam conosco, digam se gostaram dos filmes, compartilhem com os amigos, compartilhem nas redes sociais. #estudandocomatotem

 

 

 

QUANDO ATÉ UMA MÁ PUBLICIDADE, SE TORNA UMA BOA

O Jornal El País diz de forma esplêndida “McDonald’s: A história de traição por trás da gigante dos hambúrgueres” e assim abrimos essa discussão. Em julho deste ano, a Netflix liberou em sua cartela o filme: Fome de Poder, de 2016. O longa narra a trajetória de Raymond Kroc, mais conhecido como Ray Kroc, e como ele transformou o McDonald’s no gigante que é hoje.

Capa do filme: Fome de Poder, 2016.

O filme aborda o surgimento da empresa do ponto de vista de Kroc e tudo que este fez para ter o controle total da empresa. Sem querer estragar as surpresas do filme, mas não foi Kroc quem desenvolveu a ideia desde o início. O primeiro restaurante que levava o mesmo nome, era propriedade dos irmãos Richard e Maurice McDonald e se localizava em Arcadia, Califórnia. Mesmo em 1937 eles já tinham o sistema rápido idealizado e desenvolvido em seu primeiro restaurante, o que era um diferencial para todos os restaurantes da época.

Por fim, Kroc vai comendo nas bordas possíveis e um dia os irmãos McDonald se dão conta que de não têm mais nada. Perdem direito do uso ao nome McDonald’s e saem sem porcentagem em cima das vendas ou de algum direito sobre a construção da marca. Eles terminam com apenas com um valor em torno de 2 milhões cada irmão, parece muito, porém receber isso de uma vez ao invés de créditos ao longo da vida faz toda diferença.

Um dos McDonald’s em sua inauguração em cena do filme.

O que vemos aqui é o básico caso de uma má publicidade, com intenção de causar dano a um produto ou serviço, mesmo que o diretor John Lee Hancock trate Kroc como um salvador, a imagem de malandro e manipulador que extorquiu a ideia genial dos irmãos não se extingue com tanta facilidade, pois a verdade é essa. Ray Kroc é um homem vil, entretanto bem-sucedido. Desse modo não abrangendo o McDonald’s pois tamanha fama e popularidade não se afeta como um simples ato de negatividade, seria necessário um complô para talvez afetar a empresa de modo significativo. Assim, McDonald’s ganha um publicidade gratuita!

 

FONTES:

https://brasil.elpais.com/brasil/2017/03/07/cultura/1488886754_368229.html

http://www.knowledgeatwharton.com.br/article/algumas-pesquisas-o-lado-positivo-da-ma-publicidade-gestores-de-fundos-de-hedge-habilidade-x-sorte-alinhando-preco-e-valor/

http://www.adorocinema.com/filmes/filme-234023/criticas-adorocinema/

https://cinema.uol.com.br/album/2017/03/14/fome-de-poder-14-coisas-que-voce-nao-sabia-sobre-a-criacao-do-mcdonalds.htm?mode=list&foto=13

http://www.vortexcultural.com.br/images/2017/04/Fome-de-Poder.jpg

https://www.netflix.com/br/title/80101899

 

 

 

 

 

A PROPAGANDA NA ATUALIDADE

Creative business idea

 A propaganda está cada vez mais influenciando as pessoas de várias formas. As empresas  estão optando por serem o mais verdadeiras possíveis no jeito de como passar a mensagem para o cliente. Desse modo estão produzindo uma comunicação mais intensa  fazendo com que as pessoas sejam tocadas e os consumidores sejam cada vez mais atraídos. A comunicação brasileira é admirada no mundo inteiro, além de ser muito criativa, está sempre tentando passar  a mensagem desejada para os clientes do melhor modo.

Ainda que, as empresas estejam investindo bastante, as agências também constituem muito na forma em como as propagandas serão produzidas com a melhor qualidade possível e com tudo isso a publicidade brasileira vem ganhando  cada vez mais reconhecimento internacional e conquistando premiações.

As formas com que as propagandas são feitas atualmente são bem diferentes das antigas. As campanhas mais antigas eram machistas, muitas vezes de conteúdo racista, geralmente usadas sem pensar  muito no jeito em que a mensagem iria ser passada, causando uma imagem negativa da marca e gerando grande repercussão. Mas hoje ela se preocupa mais com o conteúdo e a representatividade.

 

Você conhece o Conar?

O CONAR- Conselho Nacional de Autorregulamentação Publicitária, tem a finalidade de atender as reclamações feitas pelo público que de alguma forma se sentiu ofendido. Os objetivos são os princípios morais da publicidade. O Conar não pode multar ou fazer com que o dinheiro seja devolvido, mas pode controlar o lado da ética na publicidade e descobrir as fraudes.